Contato Dr Marco Fortes

Testítuculo

Testículo




1O testículo é a gônada sexual masculina dos animais que produz as células de fecundação chamadas de espermatozoides (os gametas masculinos). Nos mamíferos ocorre aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Podem também ficar no interior do corpo de animais (geralmente os répteis ou os marinhos). Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos. Sua função é homóloga a dos ovários das fêmeas. Nos seres humanos, os testículos são suspensos pelos cordões espermáticos formados por vasos sanguíneos e linfáticos, nervos, músculo cremaster, epidídimo e canal deferente.

Tumor


O risco de um homem adquirir câncer testicular durante sua vida é de 0,4%. Este tipo de câncer é mais comum entre homens com 15-40 anos, particularmente naqueles na segunda década de vida. O câncer testicular possui uma das maiores taxas de curas de todos os cânceres: aproximadamente 90%; 100% se não for maligno. Mesmo para os poucos casos no qual o câncer maligno se espalha amplamente, a quimioterapia oferece uma taxa de cura de pelo menos 85%.

Dor


Dor no testículo é um sintoma que costuma causar muita apreensão nos homens. Os testículos são órgãos muito sensíveis e o qualquer pequeno trauma é suficiente para causar dor. Na maioria dos casos, a dor testicular não traz maiores preocupações, porém existem algumas doenças graves dos testículos que são consideradas emergências médicas, sendo indicado tratamento imediato.
Os quadros de dor testicular devem sempre ser investigados por um urologista; aqueles que mais preocupam são os que se apresentam com intensa dor associada a outros sintomas como febre ou inchaço da bolsa escrotal.

Anatomia dos testículos


Para entendermos melhor as causas de dor nos testículos e na bolsa escrotal é necessário conhecer as estruturas anatômicas que compõem os mesmos.
Os testículos são formados dentro do abdômen, descendo para o saco escrotal antes do nascimento, na maioria dos casos. Cerca de 10% dos bebês nascem com pelo menos um dos testículos ainda dentro do abdômen (situação chamada de criptorquidia), todavia, até o primeiro ano de vida ele costuma descer em direção à bolsa escrotal.
Portanto, a localização correta dos testículos é na bolsa escrotal, do lado de fora do abdômen. Por estarem do "lado de fora", os testículos apresentam uma temperatura cerca de 2ºC abaixo da temperatura corporal, o que permite um melhor funcionamento dos mesmos.
Os testículos não ficam soltos dentro do saco escrotal, mas sim suspensos pelo cordão espermático, uma espécie de cordão que nasce dentro do abdômen e contém em seu interior nervos, vasos sanguíneos, o canal deferente (estrutura responsável pelo transporte dos espermatozoides) e o músculo cremaster, responsável pela movimentação involuntária do testículos (veja imagem à esquerda).
Em cima dos testículos, como se fosse uma grande peruca, localiza-se o epidídimo, o órgão responsável pelo armazenamento dos espermatozoides produzidos pelos próprios testículos. O cordão espermático é facilmente palpável, assim como o epidídimo.
É normal um dos testículos ficar mais pendente que o outro, causando assimetria na bolsa escrotal. O tamanho também costuma ser um pouco diferente, podendo um deles ser discretamente maior que o outro. Entretanto, devemos enfatizar que uma diferença muito grande de tamanho entre os dois testículos não é normal.
Também é habitual os testículos se moverem involuntariamente, subindo ou descendo, ficando mais ou menos próximos ao corpo, de modo a regular a própria temperatura. Esses movimentos são realizados pelo músculo cremaster.

Causas de dor no testículo


Existem várias causas para dor nos testículos, algumas de pouca importância clínica, outras mais graves com necessidade de pronto atendimento. Existem também dores nos testículos que não são propriamente por problemas do testículo, como por exemplo, a dor irradiada do cálculo renal que migrou para região inferior do trato urinário (leia: CÁLCULO RENAL | PEDRA NOS RINS), alguns casos de infecção urinária (leia: INFECÇÃO URINÁRIA | CISTITE | Sintomas e Tratamento) e hérnias inguinais (hérnias na região da virilha).
Em jovens adultos e adolescentes é comum haver queixas de leve dor testicular sem outros sintomas associados. Geralmente esse quadro é inespecífico e costuma desaparecer com o tempo, muitas vezes sem conseguirmos identificar uma causa.
Os quadros de dor testicular devem sempre ser investigados por um urologista; aqueles que mais preocupam são os que se apresentam com intensa dor, associada a outros sintomas como febre ou inchaço da bolsa escrotal.

Vamos descrever a seguir as principais doenças que causam dor no testículos:


1.) Varicocele

A varicocele é uma doença causada pela dilatação das veias que drenam o sangue dos testículos. Podemos dizer que são varizes das veias testiculares. A varicocele acomete até 15% da população adulta jovem, sendo o pico de incidência entre os 15 e 25 anos. Na maioria das vezes a varicocele ocorre no lado esquerdo da bolsa escrotal, acometendo o testículo esquerdo. Um dos sintomas comuns da varicocele é uma dor, desconforto ou sensação de peso na região escrotal que piora ao longo do dia e quando ficamos muito tempo sentados ou em pé.

2.) Trauma testicular

Os testículos são órgãos muito sensíveis e qualquer trauma causa um grande desconforto. Na maioria dos casos a dor é muito forte, mas é temporária, melhorando após alguns minutos. Em casos de traumas de grande intensidade, como em acidentes automobilísticos e ou agressões, como chutes na bolsa escrotal, podem surgir inchaços e equimoses (manchas roxas). Os casos mais graves ocorrem quando o impacto é tão forte que causa rotura do testículo, sendo necessária reparação cirúrgica.

3.) Epididimite

Epididimite é o nome dado à inflamação do epidídimo, geralmente secundário a uma infecção. Nos homens sexualmente ativos a epididimite geralmente é causada pelas bactérias Clamídia ou Gonococo, transmissíveis sexualmente. A epididimite também pode ser causada pela bactéria E.coli, a mesma que causa infecção urinária. Também são freqüentes a disúria (dor para urinar), corrimento purulento pela uretra e/ou febre. Em alguns casos pode haver hematospermia (sangue no sêmen). O tratamento da epididimite é feito com antibióticos.

4.) Orquite

A orquite é a inflamação do testículo, geralmente causada por uma infecção viral. Os casos mais comuns de orquite são causados pela caxumba. A orquite também pode ser causada por bactérias, sendo geralmente uma das complicações da epididimite.Os sintomas da orquite bacteriana são muito parecidos com a epididimite. Já a orquite viral, como na caxumba, costuma causar dor testicular, vermelhidão e inchaço da bolsa escrotal associado a febre alta.

5.) Câncer do testículo

O câncer testicular é sempre uma prePerfil para os pacientes com dor no testículo, porém, é pouco comum o câncer do testículo causar dor. O quadro clínico do câncer testicular é geralmente o de uma massa palpável no testículo assintomática. Eventualmente pode haver dor ou desconforto na região escrotal, mas não é o mais habitual.

6.) Vasectomia

Alguns pacientes após a cirurgia de vasectomia podem apresentar dor testicular devido ao acúmulo de espermatozoides no epidídimo sem que haja ejaculação dos mesmos. Com o tempo, os testículos param de produzir novos espermatozoides e o corpo absorve os já armazenados, havendo melhora progressiva do quadro. Para saber mais sobre a vasectomia, leia: VASECTOMIA | Cirurgia e reversão.